Notícias

29/03/2022

Parceria IBGE-CFC facilita contadores e empresas informantes das Pesquisas Econômicas Anuais

O IBGE e o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) assinaram um Acordo de Cooperação Técnica no contexto do Projeto Preenche Rápido, facilitando a vida de profissionais de contabilidade e empresas informantes. Publicado no Diário Oficial da União em 07/02/2022, o Projeto prevê várias iniciativas, envolvendo diretamente, além das duas Instituições, empresas de TI, profissionais de contabilidade e empresas informantes do IBGE.

Objetivando viabilizar o processo de automação do preenchimento dos questionários das Pesquisas Econômicas Anuais, desde o ano passado o IBGE e o CFC vêm planejando mobilizar as principais empresas desenvolvedoras de software contábil do País e realizar campanhas de divulgação do Projeto.

Funcionalidade permite importar informações

Desde 2018, o IBGE implementou nos seus sistemas, onde são disponibilizados os questionários eletrônicos das pesquisas, uma funcionalidade que permite a importação de informações para os questionários do IBGE a partir de um arquivo de extensão csv. “No entanto, essa funcionalidade é pouco conhecida e os softwares de contabilidade não estão preparados para gerar a informação no layout que o contador precisa”, comentou Raquel Rabello, analista do IBGE e Líder do Projeto.

Jurandir Oliveira, Gerente de Planejamento e Produção das Pesquisas Estruturais, chama atenção para o fato de que, como o IBGE já disponibiliza os layouts dos questionários, as empresas de TI precisam desenvolver dentro dos seus sistemas contábeis as funcionalidades de exportação automática das informações das empresas-clientes, que são requeridas pelos questionários do IBGE.

Segundo Alessandro Pinheiro, coordenador das Pesquisas Econômicas Estruturais e Temáticas, o IBGE e o CFC pretendem disseminar junto à sociedade os enormes benefícios do Projeto Preenche Rápido, como o aumento de eficiência para empresas e escritórios de contabilidade no cumprimento das suas obrigações legais com o IBGE; as oportunidades de mercado para empresas de TI, pois as amostras contemplam anualmente em torno de 270 mil empresas e se renovam a cada ano; assim como a melhoria da qualidade das informações estatísticas produzidas pelas Pesquisas.

A grande novidade, segundo Cimar Azeredo Pereira, diretor de Pesquisas do IBGE, é que, dentre as empresas de TI que enxergaram tanto as oportunidades, como os grandes benefícios sociais do Projeto, uma das líderes de mercado, a empresa Domínio Sistemas, do grupo Thomson Reuters, assumiu a dianteira e já está colocando no seu ambiente de produção, para suas empresas clientes, as funcionalidades de exportação automática de informações para a Pesquisa Industrial Anual (PIA-Empresa), Pesquisa Anual do Comércio e Pesquisa Anual de Serviços. Brevemente estará disponível para a Pesquisa Anual da Indústria da Construção. Depois disso, os esforços procurarão envolver também a Pesquisa Industrial Anual (PIA-Produto), pesquisa que investiga informações sobre produtos empresariais.

Presidente do IBGE enxerga benefícios mais amplos

O Presidente do IBGE, Eduardo Rios Neto, destaca que, embora o objetivo mais direto do Projeto seja facilitar a vida de profissionais de contabilidade e empresas informantes do IBGE, em última instância, ele trará naturalmente benefícios ainda mais amplos, como melhores estratégias empresariais e políticas públicas, pois elas se baseiam nas informações das Pesquisas Econômicas Estruturais. Além disso, são informações que alimentam o Sistema de Contas Nacionais e, portanto, aprimoram o processo de cálculo de estimativas como o PIB nacional.

"A parceria entre o Conselho Federal de Contabilidade e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística no desenvolvimento do projeto Preenche Rápido traz benefícios não apenas para os profissionais da contabilidade, mas para todo o país. A partir dessa iniciativa, o preenchimento das pesquisas referentes ao Programa Anual das Pesquisas Estruturais por Empresa do IBGE ficará mais rápido, uma vez que serão importadas muitas informações já armazenadas nos sistemas contábeis. Essa inovação também evitará o retrabalho e possíveis erros. Com mais agilidade para a realização dessa tarefa, as empresas enviarão, de forma rápida, informações precisas e estratégicas ao IBGE, que conseguirá fazer um mapeamento mais fidedigno do mercado e fornecer dados que podem contribuir para o aumento da competitividade das empresas e, consequentemente, para o desenvolvimento sustentável do país", concluiu o presidente do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), Aécio Prado Dantas Júnior.

Fonte: Agência de Notícias IGBE