Notícias

22/03/2019

O CRCRJ e o respeito à diversidade

O Decreto nº 8727, de 28/04/2016 dispõe em seu artigo 20 que os órgãos e as entidades da administração pública federal direta, autárquica e funcional, em seus atos e procedimentos, deverão adotar o nome social da pessoa travesti ou transexual, de acordo com seu requerimento. O nome social é definido com a adoção do senso de identificação da pessoa referenciando o nome que o representa. Desta forma, não passa pelo constrangimento de ser tratado de uma forma que não condiz com sua condição humana.

Mas o que significa neste sentido nome social?

Mudaremos o tratamento que é dado a pessoa por ela fazer parte de uma minoria?

Mudaremos a forma de respeitar e julgar cada pessoa?

O nome social, no meu entender, é uma forma de respeitar mais a realidade de cada um. Além disso, ele é uma maneira importante de apresentar ao mundo como as pessoas realmente são, suas reais identidades.

Porém quando falamos em respeito, vai muito além do nome social. Devemos aprender a respeitar as crenças, as ideologias, as formas de se vestir e agir, as diferenças de gênero. Infelizmente, hoje ainda existe muita desinformação, discriminação e desrespeito.

Temos que dar mais educação ao povo. Desta forma, todos serão tratados iguais e sem discriminação.

O Conselho Regional de Contabilidade do Rio de Janeiro, pensando nisso, já alterou sua legislação a fim de cumprir a lei com a inclusão do nome social em sua Carteira Profissional.

É o nosso Conselho pensando no bem do profissional e respeitando suas ideologias. Estamos dando um passo para mostrar a todos que, com educação, respeito e profissionalismo, nossa classe estará sempre à frente!

Carlos Alexandre de Paiva

Vice-Presidente de Registro Profissional do CRCRJ