Notícias

10/10/2018

Estratégias de Alta Performance para Empresas Contábeis e Desafios de Auditoria estreiam as palestras técnicas da 58ª Concerj

Acontecendo simultaneamente, os painéis “Estratégias de Alta Performance de Empresas Contábeis” e “Auditoria: Desafios no Atual Cenário Brasileiro” abriram as atividades técnicas da 58ª Convenção de Contabilidade do Rio de Janeiro (Concerj) nesta quarta-feira (10).

Os painelistas Roberto Dias Duarte, mentor e consultor de empresas contábeis, e Vicente Sevilha Jr., empresário Contábil e Youtuber, com mediação do Vice-Presidente do CRCRJ, Samir Nehme, levaram o público a uma reflexão sobre sua atual estratégia de desenvolvimento de negócios.

Dias Duarte apresentou o que chamou de “modelo de negócios perfeito”, focado em produtividade e em oferecer soluções para o cliente, a partir de uma metáfora com postos de gasolina norte-americanos. Nesse sentido, dividiu a oferta de serviços contábeis em três níveis: técnico (como cálculo de tributos, obrigações e demonstrações), consultoria para melhoria do desempenho do cliente (com gestão financeira, por exemplo) e planejamento estratégico, que deve ser o foco dos empresários contábeis.

O ponto foi reiterado por Sevilha Jr., que complementou: “o modelo de negócios atual é focado no sucesso do cliente e na sua contribuição para isso”. Nesse sentido, os empresários contábeis devem eliminar erros e retrabalhos e priorizar atividades que tenham seu valor percebido pelo cliente. Deve-se, portanto, investir em tecnologia, desenvolvimento humano, marketing e vendas, afinal, “o Brasil é, hoje, o melhor mercado de serviços contábeis do mundo”, afirmou Dias Duarte.

O Presidente do Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon), Francisco Antônio Sant’Anna e o Vice-Presidente Técnico do CFC, Idésio da Silva Coelho Júnior, apresentaram o Painel “Auditoria: Desafios no Atual Cenário Brasileiro”, que teve como mediador o Gerente de Normas de Auditoria da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Madson de Gusmão Vasconcelos.

Sant’Anna falou sobre a relevância da auditoria para a população em um mundo cada vez mais tecnológico e destacou o papel da profissão na contribuição para uma sociedade mais ética, transparente e eficiente: “É necessário que cada auditor trabalhe seu ceticismo profissional”, disse. Em seguida, enfatizou os desafios da atuação no mercado e a importância das firmas de pequeno porte no universo das auditorias.

Já Idésio Jr. falou sobre o Ambiente Regulatório da área, destacando as leis complexas e desafiadoras que confrontam os Auditores todos os dias e os processos de convergência dos mercados a nível global e das Normas Internacionais de Contabilidade nos setores Privado, Público, de Auditoria, de Educação e de Princípios.