Notícias

30/05/2018

Projeto de Lei de criação da Controladoria-Geral do Estado (CGE) é aprovado

A criação da Controladoria-Geral do Estado (CGE) acaba de ser aprovada em votação na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), nesta quarta-feira (30). O CRCRJ esteve presente representado pelo Presidente, Waldir Ladeira, pelo Vice-Presidente de Desenvolvimento Profissional, Antonio Ranha, pelo Vice-Presidente Operacional, Elias Martins, pelo Vice-Presidente de Pesquisa e Estudos Técnicos, Jorge Ribeiro, e pelos Conselheiros Ana Luiza Lima, Marcos Diaz, Ril Moura, Victor Mota e Magno Sá.

O Projeto de Lei traz diversos artigos sobre a organização, as responsabilidades e os cargos do órgão, que busca adotar política semelhante ao que é praticado em outros estados, com um órgão independente de Controle.

“Essa é uma luta capitaneada por várias lideranças, destacando a Associação de Servidores do Controle Interno do Estado do Rio de Janeiro (ASCIERJ), incluindo nosso CRCRJ, que desde a gestão da Presidente Vitória entendemos ser de grande valor essa conquista para a população do Estado do Rio de Janeiro, e que a atual gestão ajudou a alcançar a merecida aprovação!”, afirma o Presidente do CRCRJ, Waldir Ladeira, que esteve reunido recentemente com o Auditor-Geral do Estado, Rui Chagas, para tratar sobre o assunto.

“Parabenizamos a ASCIERJ, na pessoa do atual Presidente, Guilherme Andrada, e de todos os Presidentes anteriores, com destaque para Ana Luiza Lima, nossa Conselheira e Coordenadora da Comissão da Área Pública e Thiago Rangel, bem como a todos os Profissionais da Contabilidade que atuam ou atuaram no Controle Interno do Estado, especialmente os Contadores Nestor de Andrade, Elizabeth Mauro, Magno Sá e Lilian Alves”, completa.

Atualmente, o Estado do Rio de Janeiro não possui órgão autônomo de controle, sendo este vinculado à Secretaria de Fazenda e Planejamento. Para o Presidente da Ascierj, Guilherme Andrada, trata-se de uma medida necessária: “Inclusive porque o Rio de Janeiro é o único Estado cuja legislação possui inciso sobre a obrigatoriedade de existir um órgão autônomo de Controle”, afirma.