Notícias

03/04/2019

CFC participa de reunião do EEG

O Grupo de Economias Emergentes (EEG, sigla em inglês para Emerging Economies Group), do Conselho Internacional de Normas Contábeis, presidido pelo brasileiro Amaro Gomes, realizou a 17ª  reunião na cidade de Buenos Aires, de 25 a 27 de  março.

Como delegados do Brasil, tiveram assento à mesa o Vice-presidente Técnico do CFC Idésio Coelho e o coordenador de Relações Internacionais do CPC Rogério Motta.

Participaram como observadores o presidente do Glenif Eduardo Pocetti, o presidente do Ibracon Francisco Santana, os contadores Adriana Caetano (Ibracon) e  Osvaldo Zanetti Favero Jr. (CVM),  o superintendente do Ibracon Marco Aurélio Fuchida,  e a Analista Administrativo do CFC Celia Schwindt.

Amaro Gomes, que presidiu as discussões do grupo, apresentou uma plataforma para discutir questões contábeis específicas das perspectivas das economias emergentes, que são úteis para apoiar a missão da Fundação IFRS em desenvolver normas que tragam transparência, responsabilidade e eficiência para os mercados financeiros em todo o mundo.

Na pauta foram discutidos, ainda, as Atividades reguladas por tarifas; Relatórios Financeiros em Economias Hiperinflacionárias; Combinações de Negócios sob Controle Comum: Goodwille Imparidade; Atividades Extrativistas; Revisão abrangente do padrão IFRS para PMEs; IAS 21 – Os Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio; Atividades atuais do Internacional Accounting Standards Boards.

Organizado pela Federação Argentina de Profissionais de Ciências Econômicas  (FACPCE), o encontro contou com a participação da vice-presidente do Iasb e presidente do Comitê de Interpretação de Normas de Ifrs (Ifric), Sue Lloyd, do board member Darrel Scott; da equipe técnica Michelle Sansom e Mariela Isern e dos delegados da Argentina, China, México e Coréia do Sul.

O Vice-presidente técnico Idésio Coelho destacou que “o encontro foi relevante pois permitiu  a interação com a liderança do EEG, IASB e IFRIC, bem como a discussão de assuntos importantes para o Brasil, notadamente as atividades de tarifas reguladas, a combinação de negócios dentro de controle comum, a indústria extrativa e atividades correntes do próprio IASB”

Sobre o EEG

O Grupo de Economias Emergentes (EEG, na sigla em inglês),  criado em 2011 sob a direção dos curadores da Fundação IFRS,  tem o objetivo de aumentar a participação das economias emergentes no desenvolvimento no desenvolvimento das Normas IFRS.

Além disso, o grupo também pode considerar se, e como, o Conselho poderia fornecer orientação educacional no nível certo para as partes interessadas em economias emergentes e qual seria o melhor sistema de distribuição para isso. No entanto, a competência do EEG pode evoluir ao longo do tempo.

Os documentos que foram pauta de discussão da reunião podem ser acessados em http://www.ifrs.org/news-and-events/calendar/2019/March/emergingeconomies-group/

 

Por Conselho Federal de Contabilidade