Notícias

11/10/2018

Perícia Contábil e Controle Interno em pauta na 58ª Concerj

Parte do terceiro dia de programação da 58ª Concerj, o painel “A Justiça e o Perito Contador” reuniu experiências sobre especialização em Perícia Contábil, com apresentações de Paulo Cordeiro de Mello, Contador e Perito Judicial, e do Desembargador Antonio Carlos Esteves Torres, do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, e mediação de Sandra Maria Batista, Vice-Presidente de Fiscalização, Ética e Disciplina do Conselho Federal de Contabilidade (CFC).

“O laudo inconclusivo ou deficiente será aquele do Profissional que possui formação, mas não dá continuidade à sua capacitação, portanto, não está plenamente qualificado”, afirmou Mello. Para ele, é essencial a união de três fatores: formação, atualização e experiência de mercado.

Os painelistas abordaram a importância do Cadastro Nacional de Peritos Contábeis (CNPC), iniciativa do CFC, e da inclusão da Perícia Contábil no Programa de Educação Profissional Continuada (PEPC). A moderadora Sandra Batista relatou sua experiência como coordenadora da Comissão para tratar do CNPC, criado em 2016.

A palestra do Desembargador reiterou a importância da especialização. Ele abordou aspectos contábeis, balanços e resultados, juros e contratos, entre outros aspectos. “ A base da Perícia é a ética aliada à informação. Por isso, hoje, é fundamental o Cadastro Nacional de Peritos Contábeis”, afirmou Torres.

 

No auditório Ivo Malhães de Oliveira, o tema abordado foi “Compliance e o fortalecimento dos controles na administração pública e privada”. O Auditor Geral do Estado do Rio de Janeiro, Robson Ramos, mediou a mesa, que contou com a presença do Secretário de Fazenda do Estado do Alagoas, George Santoro, o Superintendente da Área de Integridade, Controladoria e Gestão de Riscos do BNDES, Carlos Frederico Rangel, e o Vice-Presidente de Controle Interno do CRCRJ, José Antônio Felgueiras.
 
Carlos Frederico falou sobre as principais características e da forma como é feita a avaliação do nível de maturidade do Compliance nas organizações e apresentou um breve histórico de Ética e Compliance no BNDES.
 
Em seguida, José Antônio Felgueiras falou sobre a importância dos controles internos na administração pública e privada e citou a Petrobras para ilustrar como funciona a resistência de implantação de um sistema de controle em sua estrutura. Felgueiras também exaltou a importância da nova Governança Corporativa e os órgãos de controle na recuperação da estatal brasileira: “O controle interno tem que ser um braço dentro da instituição, um braço direito no auxílio ao compliance".